A Travellerspoint blog

Vietname - Hanoi e Halong Bay

Depois de 27 horas numa camioneta e de tentar segurar 7 lugares numa hostel barata que tinha encontrado, uma mulher, que supostamente nos queria ajudar, entra na camioneta e avisa-nos do perigo de apanhar um taxi... Diz-nos que os taxis na estacao de camioneta sao muito caros e que devemos de apanhar uns taxis que ela recomenda. Diz tambem que e recepcionista num hotel muito barato e bom. Percebemos logo do que se trata... e mais um "scam". No entanto, a Alice e a Lianne ja estavam dentro de um taxi e nos seguimo-la. Dissemos logo a mulher que ja tinhamos hotel reservado e que nao iamos para o hotel dela. Ela concordou e repetiu que os taxis dela era muito mais baratos. O taxi levou-nos ate ao hotel da mulher, e dai tivemos de caminhar para o hostel que eu tinha reservado. O Hostel chama-se "Real Darling Cafe", e cada quarto duplo custa 8dolares (6euros). Foi o mais barato que encontramos. As paredes dos quartos era tao finas que podiamos falar com a Nick e o Ben, que estavam no quarto ao lado, sem precisar de gritar... Esfomeados fomos ao centro de Hanoi tentar arranjar um lugar barato para se comer. A noite, Hanoi e uma cidade colorida.. colorida pelas centenas motos com as luzes ligadas a circularem pelas ruas.

No dia seguinte queriamos ir ao Mausoleu de Ho Chi Minh, mas estava fechado. Acontece que so esta aberto 3 dias por semana e entre as 8-11h. Obviamente, acabamos por nao ir. Fomos visitar a prisao Hoa Lo, mais conhecida por Prisao Hanoi Hilton. A visita a prisao, que agora e um museu, foi bastante interessante na medida que explica como os vietnamistas revolucionarios foram tratados pelos franceses, quando estes estavam no poder. Mais tarde, a prisao "recebeu" soldados americanos que lutaram contra o Vietname. O museu faz parecer que eles trataram muito bem os americanos, mostrando videos e fotografias deles todos contentes. No entanto o Senador John McCain ainda hoje nao pode levantar os bracos cima dos ombros devido as torturas que ele passou na mesma prisao, que os americanos hipocritamente de Hanoi Hilton. As celas eram minusculas e ainda tinham as correntes e os equipamentos usados para a tortura.

hanoi2.jpghanoi3.jpghanoi4.jpghanoi5.jpg
Prisao de Hoa Lo

Depois da prisao fomos tentar encontrar uma "viagem" que nos levasse a Halong Bay. Depois de perguntar precos, acabamos por comprar um pacote por 3 dias/2 noites por 38dolares (30 euros). Fizemos o que o Lonely Planet disse para nao fazermos: comprar barato. No entanto dissemos para nos proprios: "o que interessa e que visitemos o local". Na mesma companhia compramos o bilhete de camioneta (tem camas) de Hanoi ate Saigon, em que podemos sair noutros destinos por 39 dolares.

A noite fomos jantar num sitio "diferente": um restaurante que so tinha locais a beira da estrada. Fomos apressados para um quarto andar, que parecia a antiga casa de banho do predio. Quase de imediato trouxeram imensas comidas diferentes (tipo banquete), e so depois e que negociamos o preco. Foi a escolha ideal, pois podiamos experimentar comida vietnamita num local tipico de uma refeicao vietnamita...

hanoi7.jpghanoi8.jpg

Depois do jantar fomos passear pelas ruas de Hanoi antes de irmos a um show de marionetas na agua, tipico Vietnamita. Cedo reparamos que cada rua tem um so negocio, por exemplo: existe a rua dos sapatos, a rua dos acessorios de cabelo... As 20h00 seguimos para o Teatro para ver o show que compramos por 40.000dong (1,7 euros). Foi bastante engracado. Um grupo pequeno de musicos tocou instrumentos tradicionais do Vietnam e depois vieram as marionetas. Contavam uma historia, mas era em Vietnamita, por isso nao percebemos nada. Mas vos garanto que foi muito divertido!

6hanoi9.jpghanoi14.jpg
Hanoi

hanoi10.jpghanoi11.jpghanoi12.jpghanoi13.jpg
Water Puppet Show

No dia seguinte uma camioneta foi nos buscar ao hostel para nos levar ate Ha long Bay. Ha long Bay e a baia mais conhecida do Vietname, com cerca de 3000 ilhotas de calcario. Esta baia foi considerada Patrimonio Mundial em 1993. No caminho para a baia conhecemos o nosso guia, chamado Kien. O ingles dele era incompreensivel, nao porque ele nao sabia gramatica ou vocabulario, mas da maneira como ele falava.. ahh e nao se esquecam da pronuncia vietnamita. Mal chegamos a Halong Bay, as coisas comecaram a correr mal. Primeiro, Kien queria separar o nosso grupo porque nao tinha espaco suficiente no barco. Dissemos logo que nao. Depois disse que teriamos de mudar o nosso itinerario porque nao tinha quartos para nos. Mal chegamos ao barco, ia eu tirar uma fotos, e reparamos que a nossa preciosa camara fotografica tinha desaparecido. NAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAO!!! Ligo ao hostel em que tinhamos ficado a ver se tinha deixado la a camara.. nao.. Entao so podia estar na camioneta em que viemos para Halong Bay. O Moff saiu do barco mas a camioneta ja se tinha ido embora. Tentamos falar com o Kien a ver se ele conseguia ligar ao motorista e pedir para ele "guardar" a camara. A esperanca de ver a camara de novo era escassa, se nao nenhuma. Sorte por sorte na noite anterior tinha posto as fotos no Facebook, por isso nao tinha perdido fotos. Depois, como nao havia quartos suficientes para nos os 7 (os quartos eram duplos), o guia tentou fazer com que uma das raparigas dormisse no quarto com ele!!! Outra coisa que tem acontecido no Vietname e que temos de deixar os nossos passaportes para tudo: hostels, viagens... o que nao nos deixa com a sensacao de seguranca.. principalmente quando Kien atira os nossos passaportes a um homem que esta num barco, e o homem sai com eles nao-sei-pra-onde.

Almocamos a bordo de um dos barcos tipicos de Halong Bay, e esperamos pelos nossos passaportes e pelo capitao por mais 1h30. Nao podia reclamar da vista, no entanto. Todos a bordo, fomos de barco ate umas caves chamadas de Hang Đầu Gỗ (Caves de Madeira). As caves sao sem duvida impressionantes e bonitas, mas um turismo de massa transformou as caves em algo que parece artificial e "forcado": certas estaglatites e estaglamites estao cobertas com um "cimento" que as mantem na mesma forma; existem luzes de varias cores para tornar as caves mais atraentes, mas tentaram tanto que agora aquilo parece uma discoteca a tarde com luzes coloridas por todo o lado; o nosso guia contou-nos "lendas" que se baseavam nas formas das estaglatites e estaglamites.. mas ate nos contou uma lenda em que tinha por base uma sombra que era causada pelas luzes artificiais...; haviam fontes com formas de calcario que eram falsas; os turistas eram tantos que se "atropelavam" por todo o lado. Estas caves foram um exemplo nato de uma "atraccao turistica artificial" que era autentica mas se transformou em algo sem valor e transformado. Aqui vao algumas fotos de Halong Bay:

2624_14953..17003_n.jpg2624_14953..18945_n.jpg2624_14953.._3797_n.jpg2624_14953..35022_n.jpg2624_14953..87191_n.jpgn274703571..1184437.jpg
Halong Bay (fotos da Nick Fox)

Depois de visitar as caves o barco levou-nos ate a ilha de CatBa onde alguns dos passageiros a bordo sairam. Iriamos passar a noite em CatBa island no dia seguinte. Depois era tempo de irmos fazer Kayaking!!! A agencia de viagens onde compramos disse que teriamos 4 horas de kayaking e estavamos todos entusiasmados com a ideia.. mas a nossa "excursao" era tao mal organizada que acabamos por so ter meia hora... e nem sequer podemos ir os 7 ao mesmo tempo... No entanto, o jantar nao foi mau e eu e as raparigas passamos a noite a pintar as unhas de diferentes cores aos "marinheiros" do barco... e depois passamos o resto da noite a olhar pas estrelas com as ilhotas de calcario a nossa volta numa tremenda cavaqueira entre nos os 7.

n274703571..7911351.jpg

Na manha seguinte, voltamos a normalidade e os problemas comecaram de novo. Uma das raparigas do nosso grupo partiu uma chave que ja estava dobrada, e o guia queria que elas pagassem pelos danos. No entanto como a excursao foi toda mal organizada e as 3 raparigas tiveram de dormir num quarto de 2, toda a gente no barco achou injusto elas terem de pagar essa fianca. O guia disse as raparigas que nao lhes dava os passaportes ate elas pagarem, mas a Lianne roubou-lhe os passaportes de volta, resultando no nosso guia recebendo um murro do capitao e um rapido recuo do barco quando estavamos mesmo a chegar ao porto da ilha de CatBa. Entretanto nesta confusao toda, a Saz ainda grita para todas as pessoas que iam para o nosso o barco para nao virem para aquele barco, enquanto o nosso guia quase que bate na Lianne de tao frustado com a situacao toda. Desta maneira fomos feitos "refens" por uns 5 minutos no meio do mar ate que as raparigas tiveram de pagar (cerca de 2,5euros!!!), mas nesta confusao toda so queriamos era sair do barco e nao ver mais o nosso guia Kien.

Assim que chegamos a CatBa apanhamos uma camioneta que nos levou ate perto de uma montanha e fizemos um trek (caminhada) de 2 horas acima e abaixo de colinas com o chao escorregadio.. mas as vistas valeram a pena. Caminhavamos numa floresta verde virgem onde de um lado viamos a vila antiga e do outro lado a "praia" e o mar. Esta caminhada foi mais complicada que a caminhada em Chiang Mai, mas todos gostamos imenso de a fazer. Depois do trek encontramo-nos todos perto de um cafe onde esperamos pelos outros que ainda estavam a fazer a caminhada. Sento-me numa mesa onde nao conheco ninguem. Perguntam-me logo se eu estava no "barco do inferno". Respondo que sim.. percebo logo que eles estavam no porto da ilha quando se sucedeu a confusao com os passaportes e com o Kien. Perguntam-me todos os detalhes e contam-me tambem o que se sucedeu na viagem deles. Assim como o Lonely Planet diz, e melhor comprarem uma viagem um pouco mais cara e a experiencia e completamente diferente. Viagens muito baratas resultam em guias fracos, ma organizacao, e certamente, confusao. Quando estavamos todos apanhamos de novo a camioneta para o hotel (isto tudo estava incluido no preco).

O nosso hotel chamava-se CatBa Plaza e vimos na internet que era um dos melhores da ilha. Chegando la fomos recebidos por um recepcionista muito simpatico, cordial e educado que nos pediu para pousarmos as malas e para nos sentarmos numa mesa ja preparada para nos, para almocarmos. Connosco, vieram tambem 2 raparigas israelitas que conhecemos na viagem. Depois de almoco, fizemos o check in e ansiosos, fomos ver o quarto que iamos ficar essa noite... resultado? ESPECTACULAR! O meu quarto e do Jonathan era enooooorme, com uma vista para o mar e para as ilhotas de calcario. Tinhamos a tarde livre para fazer o que quisessemos. Os 9 tomaram diferentes caminhos: as israelitas foram passear pela vila; a Lianne e a Alice foram procurar uma praia; a Saz ficou no quarto a ter um dia "vaidoso"; e eu e o Moff, e a Nick e o Ben, insatisfeitos com o kayak do dia anterior, decidimos alugar kayaks e ir explorar a ilha. No entanto fomos "separados", indo eles num grupo de kayak, e nos os dois fomos explorar. Comecamos por andar a volta de ilhotas e descobrir caves dentro das ilhotas, e depois, quase que magicamente, encontramos uma vila pesqueira enorme. Uma vila pesqueira aqui no Vietname sao estas casas construidas em plataformas fluctuantes, e toda a comunidade vive da pesca. E melhor de tudo, nao era nada turistica... todos nos acenavam e sorriam quando passavamos pelas suas casas no nosso pequeno kayake. Uma tarde muito bem passada. Assim que estavamos a chegar vimos a Nick e o Ben. Tinhamo-nos desencontrado deles. A senhora que alugava os kayaks chamou-nos e veio-nos mostrar os seus peixes. Por tras do restaurante que ela tinha, ela tinha estas redes enormes por todo o lado com diferentes tipos de peixes enormes... peixe, camarao, caranguejo... Muito interessante.

A noite, depois de jantar no hotel, os rapazes tentavam-se bater no bilhar. Ate que o recepcionista chegou e era bem melhor que eles os dois. A atencao do Ben e do Jonathan cedo se tornou em ganhar o jogo ao recepcionista. O recepcionista chamava-se Ba, e mais tarde nos disse que Ba queria dizer numero "3" em Vietnamita, porque ele era o terceiro filho. Como o centro da vila ainda era longe e nos estavamos a divertir tanto no hotel, decidimos ficar e o Ba mostrou-nos a sala de karaoke do hotel. Foi o suficiente para uma noite bem passada! Divertimo-nos a cantar musicas "aparoladas" e a tentar cantar vietnamita com o Ba. Uma noite pra nao esquecer!

n274703571..6973268.jpg

No dia seguinte deixamos a ilha CatBa e voltamos para o barco... esperancados que nao fosse o mesmo... mas era.. Tinha os mesmo marinheiros, mas um guia diferente. Incluido na viagem estava tambem uma visita a uma vila pesqueira.. mas realmente a que eu e o Jonathan tinhamos ido no dia anterior era bem melhor. A vila que o barco turistico nos levou era um pouco mais turistica. Assim que o barco parou haviam barquinhos a vender frutas aos turistas, e por mais um pouco de dinheiro podiamos ir ver umas caves que tinha la perto. Decidimos ficar no barco. No dia anterior ja tinhamos visto caves, e uma maior vila pesqueira. No barco conheci 3 portugueses de Lisboa: o Pedro, o Paulo, e nao me recordo o nome do outro. Em vez de ir para Bebidorm, ou para o Algarve, fizeram eles muito bem e compraram um voo para o Vietname (concordo que o preco nao e o mesmo... mas voces perceberam a ideia). Tinham estado ja no Cambodja e iam agora viajar por todo o Vietname. Muito interessante, ate porque nao tinha conhecido muitos portuguese ate aquela altura. Talvez tambem nao ajude eu falar com o Jonathan sempre em ingles... Contaram-me tambem que naquela viagem tinham tido uma data de confusoes. Depois de almoco, seguimos rumo numa camioneta de volta a Hanoi. Passei a viagem a falar com um dos portugueses que me falou o quanto estava a adorar o Vietname e engracado que ele notava todos os pormenores diferentes que eu nem sequer tinha reparado... foi muito interessante.

2624_14953..99691_n.jpg2624_14953..35704_n.jpg2624_14954..93309_n.jpg2624_14954..69971_n.jpg

Eu tambem estava um pouco nervosa/ansiosa em relacao a nossa camara fotografica.. queria tanto ve-la de novo! Pedimos ao nosso "novo" guia que nos guiasse ate os escritorios da companhia dele porque o Kien nos tinha dito que a camara estava la. Quando la chegamos, o suposto escritorio estava fechado. Disse que nao podia fazer nada e que teriamos de voltar la amanha. Mas aquilo parecia um escritorio que ha muito nao era usado. Os 7 dizemos-lhe que nao o deixavamos ir embora ate ele nos dar a camara. Ele comeca a pegar o telemovel e a fazer chamadas.. com o telemovel desligado. Ai tenho a ideia de fazer com que ele faca alguma coisa.. comeco a fazer contas de cabeca e digo-lhe... "se encontrares a minha camara, eu dou-te um milhao de Dong (42euros)". O Jonathan concorda e ele de repente fica com um ar pensativo. Repito... "um milhao de Dong, em dinheiro, hoje". Comeca a fazer chamadas (desta vez com o telemovel ligado!), e passado um bocado diz... "esta numa mota ali estacionada. Ja venho". O Jonathan e o Ben foram com ele para ter a certeza que ele nao fugia de nos. Estivemos ai 1hora espera deles. Entretanto uma senhora de idade com um menino ao colo abre-nos a porta do escritorio (o que estava fechado) e deixa-nos sentar la enquanto esperamos por ele. Brincamos com o miudo que joga as escondidas connosco. No entanto eu e a Nick estavamos preocupadas porque os nossos "mais-que-tudo" estavam algures com um guia que nos tentou passar a perna. Passado um pouco eles voltam sem a camara. O Jonathan diz-me no entanto que acha que desde que se falou em dinheiro, que o guia quer mesmo encontrar a camara mas quem a tinha de momento vivia longe e nao podia ir a Hanoi entregar a camara. Desesperados nao sabemos o que fazer. Ele pede-nos que fiquemos em Hanoi ate ao dia seguinte e promete-nos que nos da a camara no dia seguinte, e que lhe pagavamos so quando tivessemos a camara. No entanto tinhamos de ir mudar as datas da camioneta (que ja tinhamos pago) e ele foi connosco ate a agencia de viagens. La, a senhora diz-nos que nao pode mudar as datas com tao pouco tempo de aviso e que se nao formos, teriamos de pagar outro bilhete (que seria mais um milhao de dong). A recepcionista fala com o nosso guia e pergunta se ele nao pode mandar a camara por correio no dia seguinte. Ele diz que sim.. o problema agora seria como lhe pagar... Depois de muita discussao, arriscamos a dar-lhe o milhao de dong, sem a camara, mas com a promessa dele que mandaria a camara para Hoi An, o nosso proximo destino. Assim que chegassemos a um hostel, ligavamos-lhe e diziamos a morada e ele mandava a camara. Ele mostrou-nos a fotografia do filho (que era o miudo com que tinhamos brincado) e os detalhes do BI dele, para nos acreditarmos nele. Trocamos numeros de telefone, e atencioso, esperou pela nossa camioneta e ajudou-nos com as malas. No fim de contas, ele sem contar, "ganhou" um milhao de dong naquele dia q foi-se embora todo contente. Eu e o Jonathan estavamos esperancados em ver a camara de novo, embora os outros 5 nao acreditassem nisso.

Finalmente estavamos na camioneta depois de um dia cheio de emocao. A camioneta Camel Bus era excelente. Com 3 filas de beliches (em largura), mesmo que nao muito largas, foi o suficiente para ter uma boa noite de sono. A America do Sul podia comecar a pensar neste tipo de camionetas... nao que eu tenha nada contra as camionetas da America do Sul!! muito pelo contrario, mas penso que camionetas com camas e sem duvida um invencao espectacular para viagens nocturnas. Depois de uma boa viagem de camioneta chegamos a Hue, onde tivemos de mudar de autocarro para Hoi An, via Danang. A rota pela costa era muito bonita, com o mar sempre a acompanhar-nos. Chegamos a Hoi An, finalmente, depois de uns 3 dias muito atribulados!

Posted by Themoffats 00:45 Archived in Vietnam

Email this entryFacebookStumbleUpon

Table of contents

Be the first to comment on this entry.

This blog requires you to be a logged in member of Travellerspoint to place comments.

Enter your Travellerspoint login details below

( What's this? )

If you aren't a member of Travellerspoint yet, you can join for free.

Join Travellerspoint